Tecnologia 5G é tema de debate no Encontro Interlegis

Nesta quarta-feira, 19, o Encontro Interlegis vai discutir aspectos que envolvem privacidade, segurança de dados e internet das coisas

A tecnologia 5G é, segundo os especialistas, um grande salto evolutivo para as redes móveis em todo o mundo.  De acordo com a indústria, ela vem sendo desenvolvida para suportar o crescente volume de informações que trafega pelos bilhões de dispositivos celulares ao redor do planeta. Além disso, ela promete conexões cada vez mais rápidas, menos consumo de energia, aumento no número de aparelhos conectados por área e melhoria na duração das baterias.

Apesar das evidentes vantagens, a tecnologia 5G vem despertando preocupação junto a governos, entidades civis e legisladores de todo o mundo. O avanço da tecnologia pode tornar a proteção de dados cada vez mais difícil e tornar mais vulnerável a privacidade do cidadão comum. O leilão do 5G está marcado para novembro no Brasil, deve movimentar 20 bilhões de reais e inclui a gigante chinesa Huawei.

Nesta quarta-feira, 19 de fevereiro, o Encontro Interlegis – “5G – Um novo mundo. Uma nova realidade. Tecnologia X Privacidade”, vai debater os aspectos mais polêmicos das redes 5G.

A abertura do evento será realizada pelo Senador Lasier Martins. Os painelistas convidados são Paulo Roberto Foina da Associação Brasileira de Institutos de Pesquisa Tecnológica e Inovação, José Câmara Brito do Instituto Nacional de Telecomunicações, General Guido Amim Naves do Ministério da Defesa, Guilherme Pinheiro do Instituto do Dinheiro Público, Paulo Delgado do Estado de São Paulo e o Embaixador Achilles Zaluar.

Em entrevista concedida a rádio CBN,  diretor-executivo do Interlegis/ILB, Márcio Coimbra, alerta que a quinta geração da internet móvel vai muito além da velocidade na transmissão de dados para a telefonia, afetando aspectos da vida cotidiana que vão dos transportes a saúde. Segundo ele, o objetivo é levar para o parlamento um debate de alto nível e profundo. - Nós temos desdobramentos de outras legislações que podem chegar ao Congresso Nacional que seriam discutidas nas várias comissões que temos, por exemplo no Senado. Na qualidade de "think tank" é nosso dever, por indicação do Presidente Davi Alcolumbre, pavimentar a discussão de temas relevantes em debates de alto nível com especialistas que traduzam as mudanças de forma qualificada e transparente - finalizou.